Polícias Civil e Militar prende suspeito de homicídio no Fênix

O suspeito Antônio Eduardo foi detido pelos policiais em uma residência no Madre Maria de Jesus

policias-civil-e-militar-prende-suspeito-de-homicidio-no-fenix
Foto Thales Benício / ItabiraNet

Uma ação rápida e conjunta das polícias militar e civil na noite de sexta-feira (7), resultou na prisão de Antônio Eduardo Ribeiro Nunes, de 27 anos, acusado de ter atirado contra Damião Dias Furtado, de 36 anos, que morreu na porta de casa na rua D, no bairro Fênix, em Itabira.

Segundo informações, a vítima, que é vendedor ambulante, estava guardando móveis na garagem da residência quando foi surpreendida pelo atirador. O autor do homicídio após efetuou os disparos contra Damião Furtado e em seguida fugiu correndo em direção ao bairro João XXIII.

Thales Benício / ItabiraNet

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado para socorrer a vítima, mas na chegada da equipe o médico pôde apenas constatar o óbito. Os policiais então preservaram o local do crime para a perícia técnica da Polícia Civil.

Os militares apuraram no local do fato que a motivação do crime seria um atrito familiar. Segundo a polícia, o irmão da vítima havia recebido um dinheiro e ao invés de quitar uma divida com Antônio Eduardo havia repassado certa quantia para Damião Furtado.

Foto Thales Benício / ItabiraNet

Em conversa com os policiais, o irmão de Damião Furtado negou ter dividas com o suspeito. Durante os trabalhos periciais, foi encontrado com a vítima cerca de R$ 3.500,00 em dinheiro.

Os policiais civis e militares, durante o rastreamento e diligências, obtiveram informações de que o suspeito estaria no bairro Madre Maria de Jesus. Antônio Eduardo foi detido pelos policiais em uma residência na rua B do referido bairro.

Ao ser questionado sobre os fatos, Antônio Eduardo negou ter sido o autor do homicídio e disse que estava em um bar no bairro Santa Ruth. Os policiais apresentaram fotos do suspeito às testemunhas que reconheceram o suspeito como sendo o autor dos disparos.

Diante do fato, Antônio Eduardo foi preso e encaminhado à delegacia de Polícia Civil para prestar esclarecimentos ao delegado de plantão. A arma usada no crime não foi encontrada. Um inquérito policial será instaurado para apurar a real motivação e toda a dinâmica do crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *