“Resistência Cultural, onde está a cultura?” é tema do Festival de Inverno de Itabira

Está é a 47º edição. O evento ocorrerá entre os dias 9 e 31 de julho.

resistencia-cultural-onde-esta-a-cultura-e-tema-do-festival-de-inverno-de-itabira

A 47º edição do Festival de Inverno de Itabira terá como tema “Resistência Cultural, onde está a cultura?”. Com a programação divulgada pela Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA) nesta terça-feira (6), o evento ocorrerá entre os dias 9 e 31 de julho e contará com diversos espaços e manifestações artístico-culturais.

Realizado desde 1974, o Festival de Inverno de Itabira acontece tradicionalmente no mês de julho e atrai milhares de pessoas de Itabira e região. Com ampla e diversificada programação, o evento atinge um público variado.

A proposta desta edição é de fortalecimento do setor cultural no período de pandemia, buscando dialogar com as questões políticas, culturais e de resistência cultural, focando nas raízes da cultura regional, dando espaço, particularmente aos artistas locais.

Ao longo de 23 dias ocorrerão diversas atividades artísticas como: shows musicais, exposições, peças teatrais, dentre outras ações culturais. Para a criação da marca foram usados elementos que ligam a tradição, resistência e força do Festival em resistir initerruptamente por mais de quatro décadas.

De acordo com o superintendente da FCCDA Marcos Alcântara: “o setor cultural foi um dos mais afetados durante a pandemia. O Festival não poderia deixar de acontecer e, para isso, a Fundação tem a grande responsabilidade de desenvolver um evento em formato hibrido, cumprindo todos os protocolos de segurança”, explica.

Dentre as novidades desta edição estão: homenagem a duas personalidades de extrema importância para o fomento à cultura itabirana: Myrian Brandão e Dr. Jairo Magalhães; e a descentralização da cultura, que levará diferentes atividades artísticas a diversos pontos do Município.

Alcântara reitera que “o Festival desse ano irá levar a sua essência para as comunidades. As pessoas poderão ver as apresentações no próprio cotidiano sem que isso gere aglomeração. Esta edição mostrará a força artística de Itabira, destacando que é possível desenvolver a cultura a partir do momento que a vitrine é a nossa terra”.

O Festival será realizado em modalidade híbrida: presencial e on-line, respeitando todos os protocolos estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) com relação ao enfrentamento da pandemia de Covid-19 e das ondas do Programa Minas Consciente. Nesse novo formato, a intenção é impactar a cidade com intervenções artísticas individuais, possibilitando que o Festival seja vivenciado pelos itabiranos direto de suas residências.

Esse evento é uma realização da Fundação Cultural Carlos Drummond De Andrade, Prefeitura Municipal de Itabira e tem o patrocínio do Instituto Cultural Vale.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *